Home / Exclusivo SarangInGayo / Senta Que Lá Vem História Especial de Férias: ‘Manual da Conquista’, de acordo com CROSS GENE

Senta Que Lá Vem História Especial de Férias: ‘Manual da Conquista’, de acordo com CROSS GENE 0

01

Uma crônica de Babi Dewet

Quando a gente trabalha no backstage de shows ou na produção de eventos, acaba vendo muitas coisas diferentes – e até coisas que você não esperava ou não queria ver. Ossos do ofício. Mas trabalhar com shows de idols coreanos tem algumas regras e acontecimentos bem parecidos, que a gente precisa entender e seguir. Por exemplo: nada de foto ou filmagem deles sem maquiagem; eles não comem coisas pesadas antes dos shows; você não oferece ajuda, espera que eles peçam o que precisam; se eles pedirem por tradução de frases em português, de maneira nenhuma ensine algum palavrão (e sobre a última parte a gente realmente tenta, eu juro!). Mas o CROSS GENE, por exemplo, já chegou aqui com uma lista de traduções e expressões que eles, pasme, tinham procurado na internet e com conhecidos que entendiam português. Ou seja: foi uma novidade pra gente também. Mas quem imagina que a lista tinha os velhos “eu te amo”, “bom dia” e coisas parecidas, está redondamente enganado. Era a lista mais estranha do mundo e eu chuto dizer que, se publicada, seria um manual muito peculiar de conquista (by CROSS GENE). Muito peculiar, repito.

ATENÇÃO: o grupo normalmente se sente confortável com a produção para testar vocabulários antes do show. Perguntam como fala isso ou aquilo em português, fazem anotações e testam palavras. É normal e NÃO significa que estejam sendo abusados.

Cap. 1 – Testando o “Você é bonita”

Tudo começou com o início do primeiro dia de Anime Friends 2015, antes do show deles. O local estava vazio ainda, não havia sido aberto ao público, e dois dos meninos decidiram passear pelo evento, só pra saber o que estava acontecendo – e testar seu novo vocabulário, ainda desconhecido pela produção. Líder Shin e Cabelo de Abacaxi (apelido que pegou no backstage pro SeYoung, por causa da faixinha de cabelo que ele usou durante o ensaio, que deixava os fios todos pra cima, como uma coroa de um abacaxi) passaram de um lado pro outro e eu acabei seguindo os dois, já que a produção não pode deixar de ficar de olho neles por nenhum segundo sequer. Fiquei distante, só observando eles irem e voltarem. Eu estava no canto, parada, de preto e como uma trabalhadora braçal normal de produção de shows. Daí eles passaram, olharam e um deles disse baixinho “você é bonita” e riram como adolescentes no intervalo da aula. Sem brincadeira, eu me senti com quinze anos de novo e eles pareciam se divertir com isso. Dai eu fiquei encarando sem saber o que tinha acontecido e percebi algo que sempre acontece muito: os idols testam o aprendizado da língua primeiro com a produção. Eu ri e devolvi um “muito bom” e eles pareceram bem felizes. Até o fim do show, eles tinham repetido isso para garotas realmente bonitas que passaram por eles (me agradeçam), já que viram que não faria nenhum mal. De nada.

Casper e Cabelo de Abacaxi, meditando HAHAHA. Foto: Reprodução (Cinthya Tognini/Far Music Entertainment)

Casper e Cabelo de Abacaxi, meditando HAHAHA. Foto: Reprodução (Cinthya Tognini/Far Music Entertainment)

Cap. 2 – “Você é minha namorada”

Logo depois, chegando na porta do camarim, líder Shin me parou (com o Cabelo de Abacaxi do lado, fiel escudeiro, e o resto da produção do outro) e disse “você é minha namorada”. Amigo, se seu manual da conquista já começa desse jeito, vamos rever alguns pontos! Como a resposta não poderia ser outra, eu mandei um “não”. Ele ficou meio confuso e tive que explicar o que “namorada” significa em português e que o “girl friend” seria melhor usado como “amiga” por aqui. Simples confusão de tradução. Ele ficou curioso e pensativo, mas concordou e agradeceu. Era só o que me faltava, né? Imagina ele chamando todo mundo de namorada por aí e… ah ok, desculpa, gente. Pensando bem, ia ser bem divertido.

Líder Shin, sorridente e amoroso! Foto: Divulgação (Cinthya Tognini/Far Music Entertainment

Líder Shin, sorridente e amoroso! Foto: Divulgação (Cinthya Tognini/Far Music Entertainment

Cap. 3 – “Você roubou meu coração”

Pelo andamento desse Manual, vocês já podem perceber que eles pesquisaram BEM por frases melosas e bonitas, de conquista mesmo. Não tem outra explicação. Em algum momento backstage, a Érica Imenes (colunista aqui do SIG, apresentadora do SIGTV e etc), que também estava na produção, parou em frente ao camarim para recolher autógrafos e avisar coisas importantes (a produção entrega água, corre com material, faz o que pedem e ainda precisa ter muita paciência) e foi quando Casper, o maroto que mudou a coreografia de Amazing para sempre (quem estava no showcase sabe do que eu estou falando), aproveitou a porta aberta para gritar lá de dentro “você roubou meu coração”. Na verdade, o que a gente ouviu foi mais um “vosse-robo-meu-corassao”, mas dava pra entender o esforço. A Érica ficou parada por um momento, tentando entender o que estava acontecendo, enquanto Casper estava risonho e crente que era uma frase certeira. Tadinho. Ela respondeu um “quer de volta?” e eu só não pude rir porque é falta de educação. Foi sensacional. Casper fez sinal com as mãos de quem pegava um beijo enviado pelo ar (aquelas cenas bem bregas) e cara de sofrimento. Dai a porta do camarim se fechou e nosso trabalho continuou. Ele, depois, tentou falar a frase novamente durante o show, mas ninguém entendeu porque ele disse as palavras meio fora de ordem. Se você entendeu, sinta-se sortuda(o). Não foi nada fácil para o chinês pronunciar isso.

46

Cásper, feliz da vida, durante o show no Anime Friends 2015. Foto: Reprodução (Cinthya Tognini / Far Music Entertainment)

Cap. 4 – Digdin “Sou f*d@”

O maior problema dos idols já virem com o vocabulário traduzido ou pronto é que alguns erros de tradução podem ocorrer, como já vimos. Mas o pior é quando o provável amigo brasileiro, que passou o vocabulário pra eles, ensina palavras de baixo calão e você não tem muito o que fazer a respeito. Antes do show, estávamos próximo ao camarim e pudemos ouvir lá de dentro, algumas vezes e de forma muito orgulhosa um “sou f*d@”. No momento – e me lembro BEM – a gente parou e se entreolhou, pensando na mesma coisa: como explicar pro colega que não seria bacana dizer isso em cima do palco? Aliás, será que ele sabia mesmo do que estava falando? Momentos depois, Casper (claro!) passou pela gente e repetiu o “sou f*d@” com uma expressão de que sabia muito bem que aquilo não era tão permitido assim (sapeca, o garoto). Fizemos o papel chato de dizer que isso aqui era palavrão e que para um festival, com a galera menor de idade, não pegava muito bem. Ele, no fim, ignorou e repetiu isso no palco algumas vezes (e no camarim também). Migo, a gente também acha que você é incrível!

Cap. 5 – “Não somos bons o suficiente”

O último capítulo do Manual foi, para nós, o mais curioso até hoje. Sabemos bem que a imagem que os estrangeiros tem do Brasil é de que somos um país muito animado em shows, que somos apaixonados e que as garotas são “quentes”. Até aí tudo bem (mesmo se tratando de um esteriótipo desnecessário, pra não falar outra coisa). Durante o show do CROSS GENE, vimos uma enorme tentativa deles de agradar o público feminino, esforço real da parte dos meninos, fazendo gestos e dizendo frases de conquista. Acredito que tenha dado muito certo, porque a gente ouvia os gritos lá do backstage. E não tinha uma garota no público que não estava chorando de tanto sorrir e se sentindo amada. Então, a nossa confusão quando Cabelo de Abacaxi veio falar sobre como eles não tinham sido bons o suficiente para os fãs foi bem real. Até vir a explicação dele. Em suas palavras, traduzidas por uma descendente de coreano extremamente envergonhada de ter que dizer aquilo:

“Não gostaram da gente, ninguém tirou o sutiã”

Vamos, eu vou dar um minuto pra você rir também. A gente riu (depois de um momento de choque). E daí entendemos que eles realmente, REALMENTE, achavam que tirar o sutiã no Brasil era normal (cultural, sabe?) e significava que as meninas estavam curtindo o show, e não por uma perversão (tanto do artista, quanto das fãs). SeYoung queria entender porque ninguém simplesmente ficou sem blusa lá no meio, como nos shows de rock que a gente vê por aí. Foi uma explicação inusitada, de que isso poderia acontecer em alguns eventos, mas que a gente não precisa tirar o sutiã pra dizer o quanto amou o show.  A gente diz isso aos berros, puxando cabelo e cantando sua música mais alto que vocês mesmos. True story.

15
No fim, foi um dos melhores shows de K-Pop que eu já fui. Aliás, acho até que um dos melhores shows, ponto. O CROSS GENE saiu daqui achando o lugar mais incrível que já foram e com promessa de retornar em breve! E a gente torce muito por isso, inclusive, se nos render mais pérolas de backstage como essas. Vocês gostaram? Aprenderam como conquistar garotas, de acordo com o CROSS GENE? Conta pra gente como foi sua experiência no show – ou assistindo aos vídeos pelo Youtube. Qualquer encontro é encontro. Com cantada ou sem.

E ainda dentro desse Especial de Férias, o CROSS GENE vai ter uma “sessão especial”, em homenagem ao retorno do grupo com a música Noona You: o SaranginGayo entrevistou os meninos com exclusividade, e o conteúdo vai ser BABADO (sério, sai ainda essa semana e está genial).

Acompanhe o Especial de Férias do SarangInGayo pela tag #FériasNoSIG, com conteúdo exclusivo, entrevistas e matérias especiais, com o melhor da Onda Hallyu 😎🌴🍹

 

BABI POR AÍ: BLOG / FACEBOOK / INSTAGRAM / YOUTUBE / TWITTER / Snapchat: babidewet

Comments are closed.

Theme developed by TouchSize - Premium WordPress Themes and Websites