[EXCLUSIVO] BTS (Bangtan Boys) no Brasil: “Nunca conhecemos um lugar como o Brasil” #SIGBTS

bts_brasil_sarangingayo

O grupo idol sul-coreano está no Brasil para se apresentar em evento único e conhecer o verdadeiro exército de fãs locais que já se renderam ao estilo “bad boy”do chamado “Rei dos Rookies” no último ano. Foto: Cinthya Tognini

Motivo de euforia na comunidade K-Pop brasileira desde o anúncio de sua vinda há poucos meses atrás, o BTS (Bangtan Boys) chegou ontem ao país para finalizar a mini-turnê O!RWeL8? (‘Òh, estamos atrasados?‘, em tradução livre) que levou, pela primeira vez, o fanmeeting do grupo para a Europa e a América Latina.

O evento, que acontece hoje (01/08), em São Paulo, receberá os A.R.M.Ys (nome oficial de seu fã-clube) ansiosos por ver Rap Monster, Suga, Jimin, Jin, J-Hope, JungKook e V apresentando os maiores sucessos de sua “trilogia escolar”, além de surpresas preparadas especialmente ao público que comparecer à casa de shows Via Marquês.

presente_bts_brasil
BTS com os presentes dados pelo SarangInGayo. Foto: Cinthya Tognini.

Com descontração, o grupo ainda comenta que gostaria de ter mais tempo para sair e explorar o Brasil, além de aprender o nosso bom e velho Samba. Para ajudá-los a ter uma melhor experiência em nossa terra, a equipe do SarangInGayo preparou uma cesta individual com quitutes e especialidades brasileiras – doces, salgadinhos, guaraná e café. Traduzindo do refrigerante “caçulinha” (Guaraná maknae), a ensinar como comer o clássico pirulito Dip Lik passo a passo, contamos que a pequena amostra de produtos típicos os dê energia para a apresentação de hoje, além de contribuir com boas lembranças aos integrantes em sua primeira vinda ao país.

Esbanjando simpatia, os sete meninos do BTS receberam a nossa equipe nesta manhã, para uma exclusiva onde revelaram pensamentos sobre as conquistas em pouco mais de um ano de estreia, a experiência em vir a um país tão diferente de sua cultura, além de moda – disponível em breve na coluna fashion do SIG, Girls On Fiction – e planos para o futuro.

Vejam abaixo a entrevista EXCLUSIVA completa do BTS (Bangtan Boys) ao SarangInGayo, e a mensagem deixada em vídeo para os nossos leitores:

Ative o CC para ler as legendas.

SIG: Recentemente, o BTS lançou Skool Luv Affair, o terceiro álbum do qual vocês chamam de “School Trilogy” (trilogia escolar, em tradução livre). Em entrevistas anteriores foi dito que este seria a última vez que usariam o tema “escolar”. Então qual será o tema de comeback, em agosto, do BTS?

SUGA: Até agora nós só mostramos o conceito de estudantes, por isso não há como mudar assim de repente, então iremos mostrar algo mais másculo, mostrar nosso lado mais homem.

RAP MONSTER: A faixa título do próximo álbum é Dark and Wild, então iremos voltar com um estilo que combine com esta música.

SIG: Em termos de gêneros musicais, o BTS tem uma forte influência no Hip-Hop e R&B. Há um outro gênero ou ritmo diferente que vocês gostariam de experimentar junto ao Hip-Hop?

J-HOPE: Gostaria de tentar vários estilos, mas gostaria de experimentar mais uma música que o ritmo fosse bem alegre e que todos se divertissem.

SIG: A Rapper Line (Rap Monster, Suga e J-Hope) está sempre envolvida no processo de produção musical. Será que a Vocal Line (Jin, Jimin, V e JungKook) estaria interessada em criar músicas também? Podemos esperar letras escritas por algum de vocês em um próximo álbum do Bangtan?

JIN: Na verdade, desta vez eu escrevi a minha parte da próxima faixa-título. Além disso, neste álbum entrariam mais músicas completas e, duas delas, eu que escrevi e uma foi o Bang PD (Hitman Bang, da Big Hit Entertainment), mas no final, somente a do Bang PD entrou no álbum. Mas espero que na próxima vez minhas criações entrem. Ficarei muito feliz com isso.

01
Foto: Cinthya Tognini

Em parceria com o BTS BRAZIL, direcionamos duas perguntas para o líder Rap Monster:

BTS BRAZIL: A próxima pergunta é para o Rap Monster. Esta pergunta foi feita pela maior fanbase do BTS no Brasil, o BTS BRAZIL: Como produtor musical, você conhece bem as cores dos membros para combinar com o talento de cada um nas músicas que você cria. Você tem algum desejo de produzir músicas para outros artistas também? Ou irá manter suas brilhantes criações apenas para o Bangtan?

RAP MONSTER: Por enquanto vou deixar apenas para o nosso time. Porque o Bangtan sempre vai vir em primeiro, para mim. Mas quem sabe com o passar do tempo eu possa escrever para outros também. É um desejo que tenho, mas deixarei para depois. O momento não é agora.

BTS BRAZIL: Como líder do grupo, há alguma pressão ou peso que você sentiu ou ainda sente? E o que o BTS significa para você.

RAP MONSTER: Claro que sinto uma pressão, porque como líder sempre tenho que assumir as responsabilidades. Pode ser um peso, mas também pode ser um bom título. Mas sabe, eu não sou aquele perfeccionista que precisa estar no controle de tudo, às vezes é difícil até para cuidar de mim. É muito difícil e ao mesmo tempo bom, mas sinto sim uma pressão forte de vez em quando porque somos em sete. Um já é difícil, sete então… Você sabe… (risos).
E Bangtan, pra mim, significa música. Porque sem o Bangtan eu não teria seguido a carreira musical, pois na época eu estava estudando. Mas houve a chance de me tornar membro do BTS e eu escolhi isso, então sem o Bangtan eu estaria provavelmente estudando numa faculdade ou universidade da Coreia e nada relacionado à música.

SIG: Se vocês pudessem escolher uma música da sua própria discografia, que definisse o Bangtan Boys, qual música seria e por quê?

JIN: Acho que seria a música título do nosso álbum de debut, porque foi a nossa música de lançamento que o Suga compôs e que melhor combina com as nossas cores.

SIG: Todos pensam desta forma?

BTS: Sim

Suga: Sim, a No More Dream.

SIG: Quando o BTS debutou, os membros disseram que o primeiro sonho deles era ganhar o prêmio Rookie Awards (prêmio de novato, em tradução livre) como uma equipe. Felizmente, vocês não só ganharam todos os prêmios de final de ano na Coreia, mas como fora do país (China). O quanto disso refletiu em vocês como grupo e individualmente?

Suga: Eu penso da seguinte forma: todos os artistas novatos (rookies) tem a chance de ganhar apenas uma vez este prêmio. E ter ganho este prêmio até lá fora (da Coreia) me deixa muito honrado, mas isso só foi possível pelo amor que recebemos dos fãs. E penso que devo me esforçar mais ainda por isso.

J-Hope: Eu também penso que nem o Suga hyung, pois ganhar prêmio de novato é apenas uma vez e é um prêmio de muita honra. E receber prêmio lá fora também me faz pensar mais vezes em me esforçar mais. E os fãs que nos amam tanto e por isso conseguimos um prêmio tão importante. Então penso que deverei me esforçar mais e mostrar uma imagem melhor para eles.

JungKook: Eu também tenho o mesmo pensamento que o Suga hyung e J-Hope hyung (risos), por ter recebido um prêmio como este nós temos que retribuir aos fãs, não é? Então pelos fãs pensamos em criar mais músicas boas para curtirem.

Rap Monster: Eu penso nisso como um ticket. Até o nosso produtor/presidente nos disse que agora teríamos mais responsabilidades. Então penso nisso com um ingresso (para continuar o trabalho).

Jin: Antes de debutar, eu realmente me esforcei para poder ganhar um prêmio de novato , mas após ganhar fiquei muito agradecido, e este sentimento de gratidão me faz pensar que devo me esforçar mais ainda para retribuir.

Jimin: Eu acho que todos nós pensamos da mesma forma, e após debutar, e ficarmos unidos, acaba-se criando um objetivo comum. Ter chegado bem perto deste alvo que foi ganhar prêmio de novato após nos esforçarmos tanto, e chegar até lá fora, também, me faz querer retribuir aos fãs de alguma forma. Apesar de estarmos nos esforçando bastante agora, ter recebido um prêmio tão importante, me faz querer trabalhar mais arduamente.

V: Eu também penso da mesma forma. Prêmio de novato você só recebe quando é novato. E por pensar em todo esse amor que os fãs nos dão diariamente me faz pensar em melhorar cada vez mais e mostrar uma imagem melhor para eles. Mostrar cada vez mais um “louco” Bangtan (risos).

02
Foto: Cinthya Tognini

SIG: Então qual seria o novo sonho do BTS agora?

Rap Monster: Realizar um concerto! (risos) Acho que isto é um objetivo de todos os cantores. Pois é um trabalho que podemos mostrar tudo aquilo que também não conseguimos antes. As pessoas acabam pensando “Nossa, como eles são bons!” quando nos veem cantando e dançando no palco, e isso é uma imagem-alvo a qual trabalhamos duro para alcançar.

SIG: Vamos falar sobre o nosso Brasil, então. Esta é a primeira vez de vocês em nosso lindo país. O que vocês já sabem sobre nós e o que esperam enquanto estiverem por aqui?

V: Eu, desde criança, via desenhos (em papel) e vídeos sobre o samba brasileiro (risos) porque é muito popular. Eu gostaria de dançar o samba. (risos)

Rap Monster: É. Você está certo! (risos)

J-Hope: Sempre falam que o Brasil tem cidades muito bonitas e esta é a primeira vez nossa aqui, certo? Então eu quero poder visitar todas estas cidades brasileiras.

Jin: Eu sempre ouvi que o Brasil é um país exótico e eu queria muito experimentar esta sensação. Ver as pessoas se divertindo e alegres.

JungKook: Eu quero experimentar as comidas que ficam na rua. E quero comer coisas diferentes.

Suga: É algo muito diferente da Coreia. Estamos com 12 horas de diferença. E sempre foi um país que quis muito visitar. E, ao chegar aqui, me senti muito emocionado, pois é um país bonito e charmoso. Queria poder sair para me divertir… (risos) mas não podemos. É uma pena, mas quem sabe se tiver uma oportunidade uma outra vez, irei gostar muito de vir.

Rap Monster: Eu quero ir para o Amazonas. Porque desde criança eu sempre fiz caminhadas e sempre falavam de atletas que faziam trilhas por lá. Então acabei ficando com vontade. E chegando aqui o que eu pude sentir, até conversando com os produtores, que o país é muito único. E também há a grande mistura de raças, não é? (risos) E isso é muito legal. E o estilo de roupa também difere muito. Eu senti muito isso em Los Angeles, mas sinto muito mais aqui, no Brasil, essa diferença. Então, gostei muito disso. (risos)

Jimin: Pra falar a verdade, nós chegamos ontem e por isso não tivemos muita oportunidade de conhecer a cidade, mas ouvimos muitas coisas sobre o Brasil e é uma pena que não podemos sentir tudo isso de perto.

SIG: Foi dito que o setor V.I.P e o evento “High Touch” venderam em 2 minutos, e esta é a primeira vez que um ídolo do K-Pop consegue tal acontecimento por aqui. Vocês sabiam disso? E se o BTS já sabia que tinha muitos A.R.M.Y apaixonados em nosso país?

Rap Monster: Dois minutos? Jura? Eu tenho algo muito interessante para contar. Quando cheguei ao Brasil, eu tive que mostrar meu passaporte coreano para a Imigração no aeroporto e era um rapaz que me cumprimentou em coreano, então eu cumprimentei de volta e falei que o coreano dele era muito bom. E ele disse que gostava muito de K-Pop, então perguntei se ele conhecia o BTS e ele respondeu que sim! Consegui passar sem problemas pela Imigração (risos). E ele sabia o nome das músicas e quem era o Bangtan Boys. Mas isso foi muito interessante e é um país de 12 horas de diferença. Tudo isso é muito bom e como nós conseguimos alcançar (o público) até aqui me deixa muito curioso.

Foto: Cinthya Tognini
Foto: Cinthya Tognini

SIG: O BTS preparou alguma apresentação especial? Vocês podem nos falar um pouquinho?

Suga: Para os nossos fãs, nós preparamos uma apresentação para poder fazer rap em freestyle!

V: O Brasil é um país apaixonante. Então vamos mostrar apresentações apaixonantes também! (risos)

Rap Monster: Antes daqui nós tínhamos ido para a Alemanha e mostramos um pouco do rap freestyle, mas nós fizemos no estilo daquele país, daquela cidade. E agora no Brasil, nós ainda não sabemos como fazer isso. (risos)

Com a apresentação de hoje na capital paulista, o BTS (Bangtan Boys) fecha com chave de ouro a mini-turnê de seu fanmeeting O!RWeL8? e volta à Coreia do Sul para dar continuidade as preparações de seu retorno, em agosto.

Transcrição (coreano/portugues): Natália Pak
Texto: Érica Imenes
Por favor, não retirar do SarangInGayo sem os devidos créditos.

Post Author: Natália Pak

Natália Pak, fundadora do SarangInGayo, tem 29 anos e mora em São Paulo/SP. Descendente de coreanos, teve o privilégio de receber educação brasileira e coreana. Para ela, SarangInGayo é a sua maior conquista e benção. As oportunidades, pessoas, aprendizados e experiências que conheceu com este trabalho a fez crescer e agradecer à Deus por nunca ter permitido desistir. Com sede de realizar mais sonhos, ela promete que o SarangInGayo não irá parar só num site: "O SarangInGayo ainda crescerá de formas que ninguém imagina. Quero estar presente no dia-a-dia de cada brasileiro que aprecia a cultura que meus pais e avós me ensinaram."