[ESPECIAL #SIGDIVERSIDADE] LISTA: 5 Momentos racistas protagonizados por celebridades coreanas

A cantora Lee Michelle, participante do programa 'K-Pop Star' e mestiça.
A cantora Lee Michelle, participante do programa ‘K-Pop Star’ e mestiça.
Dia 20/11 é comemorado o Dia Nacional da Consciência Negra, como uma reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. Dentro do Especial “Amor À Diversidade”, questões sobre o preconceito racial e a xenofobia na Coreia do Sul são abordadas, traçando um paralelo entre a rara miscigenação local e a ausência de políticas de proteção à diversidade racial no país da Onda Hallyu

 

A Coréia do Sul é um país ~culturalmente~ racista (sem nem saber, por muitas vezes, que o está sendo). Grande parte disso vem da ideia de que coreanos são uma “raça pura” (isso te lembra alguém?) e que, através da história, foram uma  “raça homogênea”, ou seja, sem miscigenação. A coisa não vem apenas contra os não-asiáticos, mas também contra asiáticos cuja pele não é “branca o suficiente” WHAT?. A discriminação é indiscriminada – pegou a ironia da coisa? Claro, tudo isso tem seu cunho histórico e a influência direta E PÉSSIMA dos Estados Unidos em época de guerra, mas as vezes sai tanta coisa inacreditável desse pensamento arcaico, que a gente só pode se perguntar “COMO?” e desejar “desler/desouvir”.

A coisa é tão enraizada, que nossos  ídolos, por muitas vezes, não escapam de perpetuar o pensamento. Eles foram criados nessa cultura, em sua grande maioria, e reproduzem esse discurso em rede nacional, entrevistas, shows. Pode escolher porque é um festival de baboseira. Para celebrar o Dia da Consciência Negra, o SarangInGayo traz pra vocês o Especial Amor À Diversidade, com uma lista do racismo e xenofobia fazendo “participação especial” no entretenimento sul-coreano. ATENÇÃO: Não queremos generalizar um país, muitos menos toda uma cultura, apenas queremos trazer luz aos pequenos atos do dia-a-dia, que camuflam o racismo em piadinhas estereotipadas E NÃO PASSARÃO.

 

1. EU VEJO ‘BLACKFACE’ EM TODO LUGAR

Bubble Sisters. Reprodução (Universal Music)
Bubble Sisters. Reprodução (Universal Music)

blackface foi muito popular no ocidente durante o século 19, mas na Coreia ainda é sensação e não da pra defender, migos. Uma forma de representar negros [ironia] tão engraçada, mas tão engraçada [/ironia], que é preferível pisar num bloco de Lego e depois bater o dedinho no pé da mesa. Aparece ainda em programas de comédia e até em photoshoots. Alguns ídolos que participaram da piadinha estereotipada mais tosca da história: G-Dragon e DaeSung (BIGBANG), KiKwang (BEAST) e Jackson (GOT7).

GiKwang Blackface
KiKwang (BEAST) com ‘blackface’, comendo uma melancia. Tão engraçado que dá pra esquecer de rir.

 

 

2. “MAS ELA TEM PELE ESCURA”

Yuri
“Por que você fica falando que é limpa? O que tem de limpo? Sua pele é escura, então não parece limpa” – “Com você pode falar algo tão ruim?” – “Nós vivemos a mesma vida”. PAREM. SÓ. PAREM.

Ser mulher na Coreia (e num mundo de sociedade patriarcal generalizada) já é difícil – fizemos um Especial #GarotasNoPoder, só para tomar um tempo para falar sobre isso – e quem dirá uma mulher de pele mais escura que o padrão? Deve beirar o impossível. Algumas conseguem ser consideradas símbolos da beleza, como a HyoLin, do SISTAR, mas isso não significa que elas nunca tenham escutado uma besteira.

Bora Dark Skin
“Mas a Bora tem pele escura!”, disse a rainha do óbvio, HyoYeon (SNSD)

O que fazer quando descobrir que a colega de profissão faz uma propaganda de maquiagem? Elogiar? Não, reclame que a pele dela é escura e que o job não faz sentido por conta disso. SINTO CHEIRO DE RECALQUE.

 

 

3. “OLHA, ATÉ SUA CADEIRA É ESCURA”

Kai-1 Kai-2

Na Coreia qualquer um que não pareça “etnicamente coreano” está propensa a sofrer com o racismo e, se a pele não for “clara o suficiente”, fica ainda pior.

Uma pequena tradução do .gif acima: o grupo EXO está chegando a um evento, filmado por um programa, e os funcionários arrumam as cadeiras onde os integrantes vão sentar. ChanYeol comenta para Kai: “até sua cadeira é escura”. NOOSSA, o Kai quase morre de rir por dentro, mas faz a egípcia porque era propício. Ele fica quieto por um tempo e solta toda sua felicidade com a ~brincadeira~: “Alguns fãs têm a pele bem escura também. São todos da família do Kai” e só aí o ChanYeol percebe que todo o texto aqui foi ironia e a brincadeira foi bem sem graça. EXO-Ls manjam o bullying que o dançarino principal coreano sofre dos amiguinhos, né? Tem piadinha sobre a cor da pele do Kai até no roteiro do mini-drama deles, EXO NEXT DOOR (olha o nível).

Outra brincadeira [ironia] super legal, divertida e original [/ironia] aconteceu durante uma exposição da SM Entertainment. O apresentador perguntou à TaeMin, do SHINee, qual é a fraqueza de Kai e ele responde, rindo: “a pele dele é tão escura”. BEST FRIEND GOALS, PESSOAL.

Kai 3Kai 4

 

 

4. WHITE POWER!

Key (SHINee) BaekHyun (EXO) conseguiram extrapolar na insensibilidade racial e (des)inteligência histórica, ao usarem camisetas com o slogan neonazista White Power. NÃO DÁ PRA DEFENDER ESSA AQUI MESMO.
Kay & Baek White Power

Classe “Bom Senso 101”: vocês não podem usar essa camiseta, porque, etnicamente, vocês não são brancos, migos. Vamos pesquisar um pouquinho antes de usar qualquer roupa com algo escrito, donas Stylists? Idols? Obrigada. De nada.

 

 

5. ‘IMITAR’ NEGROS É TÃO DIVERTIDO’

Os afro-descendentes norte-americanos foram segregados da população ao longo de toda a história dos Estados Unidos. Bairros, escolas e dias específicos para frequentar locais públicos fazem parte do caminho deles. NÃO É FÁCIL (e nem nunca foi). A origem cultural diferente e a segregação contribuíram para um dialeto próprio, uma cadência diferente ao falar o inglês (rítmico, cheio de swagg e gírias, principalmente, nas últimas décadas). É diferente, a gente sabe. Mas estamos procurando a graça em imitar esse “estilo de fala” para fins de comédia (mesmo patamar de piada da ~fantasia de black face~, sabe?). LIÇÃO DO DIA: uma cultura NÃO É uma fantasia/estereótipo.

Apreciar uma cultura? LEGAL! Usar um elemento disso pra arrancar risos? “THAT’S NO NO” (obrigada Masta Wu por essa fala)

 

Fizemos “só” um TOP5, porque uma lista completa desses momentos de ignorância não caberiam em um post. Coreia: a gente te ama, mas melhore, miga. E você, lembra de algum momento marcante de racismo ou xenofobia da sua celebridade favorita?

 

SARANGINGAYO – AMOR À DIVERSIDADE

Imagem de perfil da campanha "SARANGINGAYO - AMOR À DIVERSIDADE", em comemoração ao 20/11, Dia Nacional da Consciência Negra. Fanart: Júlia Lemes (K-artoons)
Imagem de perfil da campanha “SARANGINGAYO – AMOR À DIVERSIDADE”, em comemoração ao 20/11, Dia Nacional da Consciência Negra. Fanart: Júlia Lemes (K-artoons)

O racismo e a xenofobia são questões de importância em qualquer âmbito, assim como a busca pelo respeito independente da cor da pele ou nacionalidade. Com a globalização da Onda Hallyu devemos promover a reflexão sobre a temática da diversidade na Coreia do Sul, um país tão rico em cultura e com tanto a oferecer para estrangeiros.

Abre sua mente, Coreia, pois seu coração é grande!

 

Por favor, não retirar do SarangInGayo sem os devidos créditos.

Post Author: Maria Carolina

Da turma de 1989 e viciada em línguas, história, tragédias e música. O primeiro contato com a Coreia veio com a Pump it Up (aquelas máquinas de dança que foram febre nos anos 2000), tanto que aquelas músicas e grupos nos anos 1990 ainda tem um lugarzinho especial no meu coraçãozinho, principalmente CLON (aquele clipe... isso não se faz, gente). Resisti por muito tempo ao kpop "novo", mas não dá pra continuar resistindo a esses novinhos cheios de talento por muito tempo.